Universidade Castelo Branco prepara alunos para atuação em linha de frente no tratamento da covid-19

Por Bruno Cilento

No início do ano letivo de 2020, bem antes da pandemia de Coronavirus chegar ao Brasil, alunos do curso de Fisioterapia da Universidade Castelo Branco já se preparavam para as necessidades que a área da saúde poderia enfrentar.

Os alunos do décimo período iniciaram seus estudos especializados com uma nova e importante missão: a de vivenciar a prática de UTI em tempos de pandemia, antes mesmo de ela afetar nosso país.

Professores e alunos da disciplina “Fisioterapia Aplicada à Terapia Intensiva” participaram de uma série de simulações, como se estivessem na linha de frente atuando em hospitais com casos de Covid-19.

Foram executadas aulas práticas de casos clínicos reais, com procedimentos à beira leito, assistência ventilatória a pacientes críticos e atuação do fisioterapeuta em acontecimentos pulmonares no CTI, além de transporte de pacientes críticos intubados e em ventilação mecânica para exames de tomografia, realização de cinesioterapia motora, dentre outras técnicas, ajuste de parâmetro de ventiladores mecânicos.

Os alunos, para participar da simulação, precisaram se paramentar, como se estivessem atuando nos diversos hospitais e centros de referência no tratamento contra o novo coronavírus, utilizando jalecos, luvas descartáveis, capote, máscaras, toca e face shield, aquele protetor facial de acetato transparente, respeitar o distanciamento físico, além da manutenção das normas de biossegurança para assistência a pacientes críticos.

Todo esse treinamento foi possível graças ao moderno Centro de Simulação Realística que existe na Universidade Castelo Branco. Inaugurado em 18 de setembro de 2018, a estrutura conta com salas de aula multimídia, laboratórios e centros de terapia intensiva com equipamentos reais, salas de exames laboratoriais, exames por imagem, berçário e UTI neonatal, onde o aluno aprende desde aplicar uma injeção, aferir pressão arterial, coletar amostras de sangue a atuar em situações mais complexas como fazer exames de mamografia e tomografias, além das práticas de UTI e ventilação aplicadas na simulação citada no início desta matéria, já preparando o aluno para encarar os desafios profissionais que o aguarda em hospitais e clinicas.

Lembrando que todas as simulações aconteceram do início do ano letivo até a suspensão das aulas. Devido à pandemia e ao isolamento social, os alunos continuam com acompanhamento de professores por meio de aulas remotas, com o suporte necessário e esperamos que, tão logo possa, voltemos às atividades presenciais, para pôr em prática tudo o que vem sendo ministrado nas aulas a distância.

Tags