UCB entrega quase 300 kilos de alimentos não perecíveis para Quilombo em Vargem Grande

Alunos e professores da Universidade Castelo Branco estiveram nesta sexta-feira, dia 22 de setembro, no Quilombo Cafundá Astrogilda em Vargem Grande. A instituição fica no Parque Estadual da Pedra Branca e faz um importante trabalho de educação e conscientização ambiental dos moradores da sua comunidade, além da vizinhança.

“A natureza é aliada para a preservação da cultura quilombola na região e faz parte também das ferramentas de resistência do quilombo desde o princípio da comunidade” explica o prof. Sérgio Tavares que acompanha e realiza projetos do Curso de Educação Física UCB. O docente contou para os alunos como foi a fundação do Quilombo, além das vários combates de resistência para permanência no local.

A descendente de Cafundá Astrogilda que hoje segue sendo uma importante orientadora espiritual da comunidade, Maria Lúcia, contou um pouco da história de seus antepassados e os desafios da comunidade para combater a fome e as desiguadades que assolam a comunidade.

A Universidade Castelo Branco está em constante atualização do seu acervo bibliográfico, atuando inclusive na assinatura de uma das maiores bibliotecas digitais do país para os seus alunos: A Minha Biblioteca. E seguindo essa direção, alguns livros que já não haviam procura há algum tempo estão sendo trocados por alimentos não perecíveis. A BMB – Biblioteca Manuel Bandeira, nome da biblioteca da UCB, tem feito o trabalho de receber esses alimentos e trocar por alguns dos livros do seu acervo já previamente separados pelos coordenadores dos cursos.

“São livros em perfeito estado de conservação e que são referência na minha área de formação. Eu fico duplamente feliz. Ajudo a quem precisa e ainda recebo um livro que deve me acompanhar em toda minha trajetória acadêmica” diz uma jovem que acabou de fazer a troca de um livro por um kilo de alimento não perecível na BMB.

Para a coordenadora do curso de Direito, Terezinha Rosa Guimarães, a visita e a entrega dos alimentos também foi uma importante ação para engajar seus alunos em causas importantes. “A conscientização dos desafios sociais, ambientais e muitos outros e essa comunidade luta é de suma importância para a formação de futuros profissionais do Direito. Estamos muito felizes em poder contribuir com essa causa”, diz a coordenadora que esteve com um grupo de alunos.

Por fim, Gisele, uma empreendedora social do local, filha de Maria Lúcia e que tem transformado a comunidade, falou sobre o trabalho de resistência do Quilombo frente a diversos desafios: “O primeiro desafio é a aceitação da região como Quilombo. Por isso nosso trabalho educacional para valorização da nossa história. Mas outros desafios também são grandes, como a especulação imobiliária da região”.

A Universidade Castelo Branco também entregou um documento de homenagem ao Quilombo para demonstrar o apreço da instituição pelo importante trabalho realizado na comunidade, além de agradecer toda a parceria em receber nossos alunos em diversos trabalhos acadêmicos no local.

Veja abaixo algumas fotos:

Tags