Professor da UCB é fisioterapeuta da seleção brasileira masculina de futebol

Odir de Souza Carmo tem uma longa trajetória no esporte. Ele começou a trabalhar com a seleção brasileira de futebol das categorias de base em 2001. No ano seguinte, começou a prestar serviços para CBF como fisioterapeuta e professor de Educação Física da seleção profissional. Mas conta que “já trabalhei com a seleção olímpica de futebol e com a delegação paraolímpica. Estive em três Copas do Mundo, 3 Copas das Confederações, 5 Copas Américas e 3 Olimpíadas”. Atualmente, acompanha a seleção na Copa América, que está sendo realizada no Brasil.

Mas, antes disso, a ligação do professor Odir é com a Universidade Castelo Branco. Ele entrou na UCB para cursar Educação Física em 1978. De lá pra cá, fez a segunda graduação em Fisioterapia e se especializou em ginástica médica e em ciência da motricidade humana. Hoje, Odir ministra as disciplinas Fisioterapia Aquática, Fisioterapia Desportiva e Fundamentos de Fisioterapia, no curso de Fisioterapia, e Atividades para grupos especiais, em Educação Física.

Em um mundo já começando a observar as sequelas provocadas pela COVID-19 nos pacientes, o professor conta quais são os desafios da profissão para este novo momento: “Felizmente, nossa profissão tem as especialidades de Fisioterapia Respiratória e Musculoesquelética, que têm colaborado muito junto aos profissionais de saúde, prevenindo e recuperando as diversas sequelas desta doença. Com isso constatamos o destaque destes profissionais”. Inclusive, ele acredita que o coronavírus deixará muitas sequelas: “Temos constatado uma síndrome pós-Covid, que incluem sequelas respiratória, neurológica e musculoesquelética. Vejo que o principal desafio é buscarmos conhecer cada vez mais a doença e nos prepararmos para os futuros desafios”.

Para os alunos que estão prestes a entrar no mercado de trabalho, professor Odir orienta que “cada vez mais pesquisem e se especializem, pois a profissão necessita que estejamos atualizados”.

Já em relação à seleção brasileira, a principal preocupação em competições oficiais é “a forma física dos jogadores e se apresentam alguma lesão, também os equipamentos para recuperação dos atletas, enfim temos que ter muito profissionalismo para fazer o nosso melhor”.

Tags